Mauricio Figueiredo

Educação, recursos humanos e o melhor do et cetera

domingo, 28 de agosto de 2016

Beltrame joga a toalha

SECRETÁRIO DEIXA SEGURANÇA DO RIO
COM GOSTINHO DE FRUSTRAÇÃO
Em várias entrevistas, durante seus 10 anos no comando da Segurança do Estado do Rio, o delegado federal José Maria Beltrame declarou que as Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) só fariam sentido e sucesso caso acompanhadas de efetiva política de valorização social das comunidades com a oferta de bons serviços como ocorre nos diversos bairros. Ao lado da Polícia teriam de vir hospitais, escolas, mercados, bancos etc. Mas, na verdade pouco mudou no quartel de Abrantes a não ser a migração da bandidagem espalhando-se em outros locais não alcançados pelo aparato de segurança e inclusive no interior do estado.
Com a crise econômica proveniente da roubalheira generalizada que tomou conta do país nos últimos anos e a falta de uma política de prioridade para os principais problemas sociais, a UPPs figuram como um modelo esgotado e fracassado. É nesse clima que Beltrame joga a toalha. (Mauricio Figueiredo)

Academia

Bom dia
Faça como a flor
desabrocha
e embeleze
o meu sábado
Encha de cor
a rua
em sua caminhada
Alegre a ninhada
de gatos e cachorros
Escale os morros
suba as escadas
Salte do trampolim
Mas n]ao se esqueça de mim
na ida e na volta
da sua academia

Acorde o sol
e me dá bom dia!
(Mauricio Figueiredo)


Victor Meirelles

PASTEL DE FEIRA
E UMA ÍNDIA MORTA NA PRAIA
Eu morei em criança na Víctor Meirelles e aprendi na Escola Pareto de Partido que era um pintor famoso. Lembro da feira, não sei se de domingo ou sábado. Era uma rua de subida e como eu e minhas irmãs eramos mal educados, na família nos chamavam da turma do morro que naquele tempo já era estigmatizado. Hoje a Victor Meirelles é cortada por um viaduto horrendo, ligando o Sampaio a Vila Isabel e poucos carros por ela passam com medo dos tiros do tráfico. Mas, esse é um outro quadro que Vítor Meirelles não pintou e Dona Alba na Pareto jamais me ensinou (Mauricio Figueiredo)
PS: primo Gérson, para fugir do óbvio escolhi o quadro Moema, do Victor Meirelles, com a índia morta na beira da praia, que faz mas jus aos dias que vivemos...

28 de agosto - Dia do Bancário


Santo Agostinho e o Amor


Santo do Dia - Domingo 28 de agosto


Santo Agostinho, bispo, Doutor da Igreja, +430

Nasceu em Tagaste, no ano de 354. Africano da Tunísia, era filho de pai pagão e de mãe cristã. Espírito irrequieto e sedento de verdade, enveredou por várias correntes filosóficas e seitas, até chegar ao cristianismo. Incursionou também pelos meandros da vida amorosa, e por muito tempo viveu em companhia de uma mulher e ambos tiveram um filho. Esta mulher anónima, que Santo Agostinho amava e por ela era amado, e da qual nem sequer nos legou o nome, retornou à África e certamente não foi menor em sua oblação.
Agostinho converteu-se por volta do ano 387 e recebeu o baptismo em Milão. Quem o baptizou foi o célebre bispo Santo Ambrósio que, juntamente com Santa Mónica, trabalhou pela sua conversão. Retornando à sua terra, levou vida ascética. Eleito bispo de Hipona, por trinta e quatro anos esteve à frente de seu povo, ensinando-o e combatendo as heresias. Além de "Confissões", escreveu muitas outras obras. Constitui-se, assim, num dos mais profundos pensadores do mundo antigo. É por muitos considerado o pai do existencialismo cristão. Morreu em Hippo Regius, no dia 28 de Agosto de 430.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Rio 2016



TJRJ registrou 182 casos de cambismo e decretou 76 prisões preventivas durante Olimpíada

Nas duas semanas em que o Rio sediou a Olimpíada, o Tribunal de Justiça do realizou 244 audiências, efetuou 97 transações penais e decretou 76 prisões preventivas. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira, dia 26, pelo coordenador da Comissão Judiciária de Articulação dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais em Eventos Esportivos, Culturais e Grandes Eventos (CEJESP), desembargador Mauro Martins. Entre as principais ocorrências, destaque para o cambismo, com 182 registros.
“Avalio como extremamente positiva a atuação do Juizado do Torcedor e dos Grandes Eventos. Tivemos um grupo que trabalhou de forma ininterrupta em sistema de plantão e rodízio, com uma atuação firme e dedicada”, destacou o desembargador.
Para o magistrado, a atuação do Juizado durante a Rio 2016 trouxe prestígio internacional para o Judiciário fluminense. Ele citou o caso dos nadadores americanos, que teve forte repercussão na imprensa estrangeira, como exemplo.
“No caso dos nadadores americanos, o Juizado teve atuação firme, corajosa e resolveu com equilíbrio a situação. Os turistas testemunharam a atuação da Justiça fluminense de forma ininterrupta durante os Jogos. Uma juíza contou que alguns turistas estrangeiros revelaram surpresa por estarem diante de uma magistrada, em uma audiência, em plena madrugada. Essa ideia que o torcedor estrangeiro levou para seu país é muito positiva”, avaliou.
A presença da Justiça do Rio nos grandes eventos, para o desembargador, dá um caráter preventivo.
“Já acostumadas com o fato de que em grandes eventos existe um Juizado, com a presença de um juiz, de um promotor, com uma estrutura de um órgão judiciário em funcionamento, as pessoas sabem que se cometerem um ato contrário à Lei, a resposta será imediata”, afirmou.
A dedicação e empenho dos cerca de 50 juízes e mais de 200 servidores e funcionários terceirizados que atuaram em regime de plantão durante a Olimpíada foram destacadas pelo desembargador. Ele também elogiou as demais instituições públicas que atuaram com o Juizado.
“O comprometimento dos magistrados e dos servidores do Tribunal merece todos os elogios e reconhecimento, pois contribuíram para o sucesso dos Jogos. Todas as instituições públicas, Ministério Público e Defensoria Pública trabalharam de forma conjunta com o Juizado para que pudéssemos atender às demandas que chegaram aos postos”, frisou o desembargador.

FILIPINAS CONTRATA MATADORA DE ALUGUEL

País vem eliminando
em massa os traficantes
de droga

O recém-eleito presidente da Filipinas, Rodrigo Duterte, empossado em 30 de junho, colocou em prática a promessa de campanha de acabar com a criminalidade nos primeiros seis meses de mandato, e até o momento já forma assassinadas quase duas mil pessoas ligadas ao tráfico. A estratégia do governo tem sido a contratação pela polícia de matadores de aluguel, sendo um dos destaques uma mulher chamada Maria (nome fictício).

Em entrevista à BBC, Maria disse que seu primeiro trabalho foi realizado há dois anos. "Eu estava muito assustada e nervosa porque foi a primeira vez". O trabalho específico da mulher assassina de aluguel, pelo sucesso, recebeu elogios direto do presidente Duterte.



Foto Epa/Mark Cristino: Protesto contra a matança geral de pessoas é realizado na Filipinas

Justiça francesa suspende proibição da burca


Conselho de Estado declarou ilegal o veto aprovado pelo tribunal administrativo de Nice. Decisão fará jurisprudência

VITÓRIA DAS MULHERES
ADEPTAS DO ISLAMISMO

O Conselho de Estado francês, órgão consultivo e judicial equivalente ao supremo tribunal administrativo, decidiu esta sexta-feira suspender a proibição de uso do burquíni na comuna de Villeneuve-Loubet, nos Alpes Marítimos.


Um colégio de três juízes examinou os requerimentos apresentados pela Liga dos Direitos do Homem e pelo Comité Contra a Islamofobia em França, ambos reclamando a ilegalidade do veto aprovado pelo tribunal administrativo de Nice, que permitia à comuna de Villeneuve-Loubet proibir o uso do fato de banho islâmico nas praias da região do sul de França.


Segundo o Conselho de Estado, a decisão do tribunal administrativo de Nice fica anulada e é novamente autorizado o uso do burquíni. Já nos outros 30 municípios franceses que tomaram a decisão de proibir o burquíni nas praias, o veto mantém-se em vigor até que seja contestado na justiça, informa o Le Monde.
(Transcrito do Diário de Notícias - Portugal)

Reportagem na TV


Corre na sala
vem ver o Dentinho na TV.
Acorda seu pai, seu tio, seu avô
chama a vizinhança
e deixa também a criançada vê

Olha, ele tá sorrindo.
É o único que não baixou cabeça
Nunca foi frouxo
Será que vai dá também no Datena?

Chama a Rosália na casa dela.
Ele é perdidinho por ela
Chama a Dulce mas nada de briga
aqui dentro
Porrada de mulheres só do lado de fora
do terreiro

É bom também ligar pro doutor,
pois tou sem crédito no celular.

Será que a TV do Celso dá pra gravar?
Ele errou a quantidade e quse
que além do cofre explodiu o posto
inteiro. Era muito dinheiro
espalhado pra tudo que é lado

Avisa a Carolina pra avisá a tia dele
e a turma da pelada de que domingo
o time ficará desfalcado,

Mas logo e logo, ele tá de volta.
Deus é grande!!!
(Mauricio Figueiredo)

LUZ, CÂMERA, AÇÃO! - * Carlos Ney


Tia Zulmira (com a devida licença do Stanislaw Ponte Preta, que a consagrou em seus escritos) entrou em casa esbaforida. O que não era de todo raro, sendo ela tão intensa. A Dilma vai virar filme! A frase saiu meio que atravancada, num só fôlego, com a pressa de não virar notícia velha. Dilma, que Dilma? Perguntei, já que sou meio lento antes das sete horas, chovendo ou fazendo sol. A presidente que não é mais presidente, exclamou. Ah, a Dilma... Mas, sem querer deter a marcha acelerada, Tia Zulmira contou o resto da história. O partido, que os meios produzidos pelo empreiteiro mais corrupto (olha só a redundância), tornou-se governo, estaria produzindo um filme, estilo documentário, sobre o golpe. Dilma é claro, já que cada país tem a Angelina Jolie que merece, protagonizaria a película. Lula (o genérico de um Brad Pitt), que a esta altura dos acontecimentos já será tão ex quanto ela, deverá fazer o par romântico (como todo folhetim, deverá haver um Temer para compor o triângulo amoroso). Enquanto minha tia querida, indiferente ao meu alheamento, falava pelos cotovelos, eu interpretava o boato. Então, mesmo que contra nossa vontade, vivemos a realidade virtual de uma chanchada, onde os fatos serão tratados como detalhes, de modo a transformá-los, pela mágica do cinema, na história que os atores/autores querem contar. Não serão mostradas as mentiras que, pelas hábeis mãos do marqueteiro milionário (hoje, prisioneiro), João Santana, tornaram verdades eleitoreiras. Não se falarão nos membros da cúpula partidária que hoje residem nas penitenciárias. Não será citada a Refinaria de Pasadena, nem registrado o momento em que, com a assinatura de Dilma, concluiu-se um dos maiores escândalos financeiros da República. A implosão da maior empresa estatal brasileira, uma das dez maiores do mundo, ranqueada na Forbes, transformada na mais endividada da mundo, sequer será mencionada. Para quê? Tudo o que se vê agora, relacionado ao processo de impeachment, é mero material cinematográfico. As Olimpíadas, com suas fantásticas abertura e encerramento, desfilarão como obra de Lula e Dilma. Não se falarão, é claro, nas crateras criadas na Saúde e Educação, com a evasão das verbas que lhes deveriam caber, por direito. O filme é deles e eles escolhem o roteiro. Dilma, acompanhada de Lula, irá ao Senado, nos próximos dias, pretextando defender-se. Puro cinema. Se ela voltar, algo tão improvável quanto o Donald Trump tornar-se monge budista, o apoio financeiro, travestido de patrocínio cultural, estará garantido. Afinal, na ótica desse governo que deixou de ser governo, que outra finalidade, senão esta, teriam as estatais? Tremendo estarão os cineastas americanos. Contrariando a lógica do mercado, o Oscar viria para o Brasil. Porque, sejamos francos, não existem gênios tão criativos a ponto de urdirem uma tragédia que, além de hilária, é baseada em fatos reais.

* Carlos Ney é jornalista e escritor